Subscribe News Feed Subscribe Comments

BOAS FESTAS!!!

Filmes Independentes

Formado em Comunicação, com habilitação em Cinema e Vídeo  pelo Centro Universitário UNA e professor na Escola Livre de Cinema de longa data, o cineasta mineiro Sérgio Gomes traz em sua bagagem diversos tipos de filmes, desde curtas-metragens até longas...

Confira no link abaixo os filmes que fazer parte da sua carreira profissional:



Ajudem a divulgar o cinema de Minas Gerais!

Senac São Paulo lança curso de produção audiovisual



Especialização Audiovisual

Senac São Paulo lança curso de produção audiovisual


No momento em que o mercado audiovisual brasileiro vive a recente aprovação da nova lei da TV paga, que vai viabilizar mais oportunidades de atuação aos profissionais do setor, o Centro Universitário Senac lança a pós-graduação Produção Audiovisual – projeto e negócio, que será ofertada no Senac Lapa Scipião.

Com início previsto para março de 2012, o curso é direcionado a produtores e àqueles que querem aprofundar seus conhecimentos na área, o curso tem duração de 360 horas e conta com uma metodologia que contempla apresentações de cases nacionais e internacionais, debates e encontros com experientes profissionais. Os alunos fazem um mapeamento do setor, que inclui planejamento, etapas de produção, oportunidades e estratégias de negociação.

“O audiovisual está crescendo significativamente no país, em função do barateamento das tecnologias, dos investimentos e da aproximação entre as produções independentes e as emissoras de TV. Porém, falta qualificação e o curso supre essa demanda do mercado ao formar especialistas com domínio em toda a cadeia produtiva do segmento”, afirma Gley Fabiano Xavier, coordenador de pós-graduação do Senac Lapa Scipião.

Com um grande leque de possibilidades, o aluno formado pelo Senac neste curso poderá atuar em cinema, TV, novas mídias, bem como em ações internacionais, já que estará preparado para negociar projetos e participar de feiras e eventos.



Serviço
Pós-graduação: Produção Audiovisual – projeto e negócio
Terças e quintas-feiras, das 19 horas às 22h35
Senac Lapa Scipião



Texto retirado do site: www.sp.senac.br

ProCultura quer substituir Rouanet


Uma proposta de mudança no modelo federal de incentivo à cultura joga nova pá de cal na Lei Rouanet. De 1991, o atual sistema é criticado por deixar a esfera privada decidir as produções que recebem patrocínio – deduzido do Imposto de Renda, via renúncia fiscal.
O ProCultura, projeto de lei que toma o lugar da Rouanet, vai propor que as empresas sejam obrigadas a destinar 20% desses recursos ao Fundo Nacional da Cultura. A ideia é que, por meio de editais, a entidade pulverize o financiamento pelo país. Hoje, o eixo Rio-São Paulo é imã de 80% dos recursos. Se os tais 20% estivessem valendo em 2010, por exemplo, o fundo teria um aporte adicional de R$ 240 milhões.

Conflito
Desacordos rondam a recauchutagem da Rouanet. Prevê-se, por exemplo, um sistema de pontos para definir se o candidato à lei oferece contrapartida social (a partir disso, fixa-se uma porcentagem maior ou menor de renúncia fiscal). O secretário de Fomento do Ministério da Cultura, Henilton Menezes, defende critérios mais objetivos, como gratuidade em eventos.
Mas discorda que a pasta deva classificar “propostas inovadoras”, conforme sugerido em 2010 na Comissão de Educação e Cultura. “Posso dizer que é inovador num estado, e não no outro.”
A versão anterior do projeto previa que patrocinadores bancassem do próprio bolso (ou seja, sem debitar do fisco) 20% dos recursos para os projetos apoiados. Assim, fechava-se a janela para os 100% de renúncia fiscal (até o teto de 4% do total do imposto devido).
Isso cai no texto atual. Com o risco de as empresas recuarem, haveria “queda importante nos recursos captados”, afirma o deputado Pedro Eugênio (PT-PE), relator do projeto.

Related Posts with Thumbnails
 
Diana Vidigal | TNB